CARLOS ETCHICHURYUM JORNALISTA DE VERDADE!

O editor do Cristalvox é um crítico ferrenho do jornalismo alinhado. Porém, nessa imensidão de mediocridade ainda existem ilhas,  onde o ar é respirável. Um dos habitantes dessas imaginárias  ilhas,  onde o verdadeiro  jornalismo é exercitado,  felizmente permanece hígido o Carlos Etchichury.  O editor do cristal nunca privou sequer de um telefonema com o jornalista,  mas reconhece ser um profissional de verdade, daqueles raros “elementos da natureza”  que não se deixou corromper, nessa imensidão que foi tomada pelo analfabetismo funcional.

Leia o corajoso texto que Etchichury escreve sobre a EPTC..

–  Porto Alegre é uma das poucas cidades do onde faltam táxis quando mais se precisa deles. Basta o tempo fechar para que os carros vermelhos desapareçam das ruas. Eles escasseiam nas festas de Natal e Ano-Novo, e estão sempre lotados nas saídas de shows. Os menos de 4 mil táxis são insuficientes para uma cidade de 1,5 milhão de habitantes. Todo mundo sabe disso – menos a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), sempre resistente em ampliar o número da frota.

A empresa tem um padrão de comportamento curioso. Embora existam várias denúncias contra maus motoristas (desde grosserias, passando por envolvimento com tráfico, formação de milícias até abuso contra mulheres), precisou um taxista praticar um homicídio para que o joio começasse a ser separado do trigo. Segundo o órgão, será feita varredura para identificar, entre 10,3 mil condutores, aqueles que têm antecedentes criminais.

Veículos seguem caindo no Dilúvio

— Iremos limpar o serviço de táxi — prometeu Vanderlei Cappellari, presidente da EPTC.Ótimo. Mas por que tanta demora?

A mesma lentidão acontece com a ausência de proteção nas margens do Dilúvio. Nos últimos anos, dezenas de carros (sim, dezenas!) subiram o meio-fio da Ipiranga e mergulharam no riacho. Por sorte, não houve nenhuma tragédia. A EPTC teima em dizer que a culpa das quedas é dos motoristas (o que é meia verdade porque, em alguns locais, o meio-fio é quase inexistente e porque acidentes acontecem) e que defensas não funcionariam (o que é falso). E os veículos seguem caindo, e vidas seguem sendo expostas… Até quando?

A demora em agir também esteve presente em um acidente gravíssimo, em outubro, no cruzamento da Dona Augusta com Miguel Couto, no Bairro Menino Deus. No local, houve uma mudança no trânsito sem reforço da sinalização. Acidentes se tornaram frequentes. Moradores alertaram, protocolaram pedidos, postaram no Facebook. Nada adiantou. Até que duas pessoas morreram. Então, a EPTC resolveu pintar o asfalto e colocar tachões ostensivos. Por que tanta demora?

http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2016/01/carlos-etchichury-por-que-a-eptc-demora-tanto-4959276.html

convite-facebook