SARTORI: MEIA HORA PARA DEBOCHAR DOS GAÚCHOS!

Quem ouviu na Rádio Gaúcha, na manhã desta quinta, 07 de janeiro, a entrevista de José Ivo Sartori, Governador do Estado do Rio Grande do Sul ficou com a sensação de ser um “corno” político. Foram 20 minutos de pura “enrolação”, de descompromisso, de deboche. Tentar convencer  seus governados de que o “uso” do porto de Pelotas para depósito de toras de madeira e uma PPP “capenga” na Expointer são “feitos” históricos, repete o Editor que o Governador “pensa” que os gaúchos são “CORNOS POLÍTICOS”.

Foram 365 dias “perdidos”. Passarão para a história da nossa política como o ano em que se “brincou” de governar. Um ano inteiro dedicado apenas a “juntar” dinheiro para pagar a cara, ultrapassada e desqualificada máquina estatal do Rio Grande. E não venham os defensores de Sartori alegar que ‘ELE” recebeu o Estado em situação falimentar… Sartori, na campanha, sempre disse que tinha soluções para “atacar” todos os problemas, já no primeiro dia de governo. AINDA NÃO COMEÇOU…

2016 não será diferente! De nada adiantará a “derrama” aprovada irresponsavelmente pela Assembléia Gaúcha,  majorando tributos e punindo os mais pobres, exatamente àqueles “escravos” que são obrigados a produzir para “azeitar” a república dos PRÍNCIPES… Já em maio o Estado não terá dinheiro para cumprir minimamente a folha de pessoal. Investimentos, então, só com o dinheiro “sequestrado” mais e mais do bolso do contribuinte. Estará, já em 2016, de volta, a república dos pedágios do PMDB, agora sob a batuta do médico Pedro Westphalen do PP.

Só mesmo gente sem conexão com a realidade, sem visão de mundo, sem leitura e informação – e aqui se coloca imediatamente a necessidade da compra do sistema alemão identificador de teses acadêmicas falsas – para justificar tamanha incompetência.

A inteligência verdadeira do Estado está fora do governo. Ela foi embora diante do descaso, do não reconhecimento e do alijamento provocado pelos menos iluminados.  Ela, a verdaeira inteligência,  não fez e não faz parte do GRUPO que está encastelado na Praça da Matriz, ora no palácio Piratini, ora na Assembléia. Essa “massa” que se apoderou do Rio Grande é a única responsável pela imensa crise político/administrativa que vivem os gaúchos. “O GRUPO” que continua, desde Pedro Simon a prescrever soluções vencidas, a colocar em prática um projeto eterno de dominação, receberá em dias, o reforço do grupo de Yeda Crusius – que já ameaça deixar o PSDB-. O quadro sinistro estará completo. Juntarão Aod Cunha a Cristiano Tasch para provocar o ARMAGEDON FINAL…

SARTORI tem de entender que sem a mobilização da inteligência, sem o concurso das grandes cabeças pensantes do Rio Grande do Sul, seu governo nada mais será que um ‘GOVERNICHO”.

SARTORI NÃO FOI ELEITO PARA “ENCENAR” PALHAÇADAS, GRACINHAS…

Passará para a história como o GRANDE CHORÃO!