FHC ASSUME CONTROLE POLÍTICO DO PSDB

Pouco depois de dizer que a renúncia da presidente Dilma Rousseff seria um “gesto de grandeza”, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez nesta segunda-feira (17) um esforço para alinhar o discurso dos principais líderes tucanos.

FHC reuniu em seu apartamento, em São Paulo, os dois líderes que despontam como opções do PSDB para a próxima eleição presidencial, o senador mineiro Aécio Neves e o governador paulista, Geraldo Alckmin.

De acordo com relatos feitos à *Folha,* Fernando Henrique fez uma análise do cenário político e disse que o partido deveria falar a mesma língua ao discutir as alternativas para o país sair da crise. Na semana passada, FHC já havia conversado sobre o assunto com outro líder tucano, o senador José Serra (SP).

Há duas semanas, aliados de Aécio defenderam a renúncia de Dilma e do vice-presidente Michel Temer, e a realização de nova eleição. Alckmin tem sido cauteloso sobre a possibilidade de impeachment agora, quando ele não teria condições de deixar o governo para disputar com Aécio a indicação do PSDB e se candidatar à Presidência.

Logo após o encontro de FHC com Aécio e Alckmin, o senador Aloysio Nunes (SP), que foi vice da chapa de Aécio na eleição presidencial de 2014, subiu à tribuna do Senado e disse que, se um pedido de impeachment fosse submetido hoje ao plenário da Câmara, o PSDB votaria pelo afastamento de Dilma.

Tucanos interpretaram a fala de Aloysio, que continua muito próximo a Aécio, como um recuo do discurso adotado anteriormente pelos aliados do mineiro que defenderam a realização de nova eleição.(Fonte –  Folha de São Paulo)

convite-facebook